segunda-feira, 19 de outubro de 2020

Você desenvolve Projetos ou Produtos?

   Lendo o artigo Why Agile Transformation sometimes fail da Magdalena Firlit, especialmente no tópico Project-oriented organization (instead of a product), lembrei de uma situação ocorrida comigo há alguns anos.

   Eu gerenciava um projeto de desenvolvimento de um software para apoio ao Centro de Controle Operacional de um cliente. O CCO era uma sala onde ficavam dezenas de operadores e dezenas de computadores, monitores de vídeo, TVs e painéis, de onde eram comandadas operações da empresa.

   Naquele projeto nós não utilizávamos MVPs, mas a sua versão "raiz", conhecida como PoC (Prova de Conceito — sigla em inglês). E, ao final de cada PoC, realizávamos uma reunião de avaliação e definição da próxima fase. Eis que, numa destas reuniões, um analista percebe que mais de 80% do trabalho realizado pelas dezenas de operadores era mecânico e automatizável por software.

   Imediatamente chamei o Diretor para a reunião e o analista lhe deu a notícia:

_ Conseguimos uma solução que vai acabar com o CCO do cliente!

   O Diretor ficou vermelho...

_ Ele pode ficar só com 20% daquela estrutura toda. Aquilo é tudo desperdício de dinheiro! 80% do trabalho deles o nosso sistema vai fazer. Se ele quiser, nem precisa mais ter um CCO.

   O Diretor respirou fundo e, após se recuperar da taquicardia, respondeu:

_ Se é isso que você pensa, e ninguém aqui se manifestou contra, vamos encerrar esse projeto agora mesmo, porque vocês estão jogando meu dinheiro fora. Esse projeto tem um objetivo só: implantar o CCO do cliente do jeito que ele imaginou. E eu não vejo ninguém aqui defendendo isso, que é o mais importante.

   O Diretor enxergou aquele insight como uma ofensa aos objetivos do projeto, sem perceber que aquilo seria o grande diferencial do produto. Será que o cliente não gostaria de saber que poderia reduzir a estrutura planejada em 80% e obter o mesmo resultado? Nunca saberemos a resposta.

   Desta forma, a limitação de escopo do projeto matou o empirismo, a criação, a disrupção, a inovação, o time e o próprio projeto. Sei que 4 dos 7 membros da equipe original do projeto (incluindo eu e aquele analista) saíram da empresa nos meses seguintes e, pelo que ouvi falar, o projeto foi cancelado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Scrum - You're doing it the right way! Or... maybe... not at all

     Once upon a time, a long time ago, in a galaxy far, far away, there was a human called John Goodsense. John was a senior Scrum Master, ...